19/out/2017 por

Nadya e as “Bruxas da Noite” da Força Aérea Soviética

popova_2613973b

 

Nadya Popova e as “Bruxas da Noite”, as letais pilotos de bombardeio noturno do 588º regimento feminino da Força Aérea Soviética.

Com seus 17, 18 anos, elas voavam em aviões feitos para pulverizar plantações, muito inferiores a qualquer avião nazista. Voavam sem pára-quedas ou armas, apenas bombas, e seus rostos sem proteção congelavam no inverno russo.

Pra impedir que seu esquadrão fosse abatido, Nadya desenvolveu uma tática inusitada: ordenar às companheiras que desligassem os motores e planassem até o alvo.

Os soldados nazistas em solo só conseguiam ouvir o sussurro do vento passando pelas asas das aeronaves delas quando era tarde demais. Apavorados, eles diziam que era o som das bruxas voando em suas vassouras, e que elas eram capazes de enxergar como gatos na escuridão completa. Nadya e seu esquadrão já estava acima deles, e o bombardeio iluminava a noite como um segundo sol. 

Elas voavam até 8 vezes por noite, realizaram mais de 30.000 missões, e fizeram chover mais de 23 mil toneladas de terror comunista sobre os alemães. Eram tão temidas que qualquer nazista que abatesse uma das Bruxas da Noite era recompensado com a Cruz de Ferro, a honraria máxima do exército alemão.

Sobre essa época, Nadya teria comentado anos mais tarde que “todas as noites nós nos levantávamos, abraçávamos nossas amigas, e navegávamos através do mar de fogo inimigo.  Às vezes fecho os olhos, me vejo como uma garotinha em seu pequeno bombardeiro improvisado e me pergunto: ‘Nadya, como você fazia isso?'”.

Acompanhe as publicações e curta a página d’O Novelo no Facebook aqui