24/mar/2018 por

Mulher: A autenticidade do Ser

Anarkia

Ser Mulher não envolve apenas um gênero, tão pouco o que a sociedade dita, obriga, distorce, incita. Ser Mulher, também é ser Homem, aliás, Ser Mulher é Ser Homem, é ser Filha, é ser Menina, é ser Avó, é ser Amiga, é Ser, é Ser Humano.

Ser Mulher é Empatia, ser Mulher é ser o outro, sem deixar de ser quem é. Ser Mulher é ter um rosto, e ser todos os rostos do Mundo.

Ser Mulher é transcender, ser Mulher é ser eterno, é ser que renasce a cada momento, é ser consolação, é ser de verdade mesmo quando a mentira bate, é ser, mesmo quando mais ninguém consegue ser. É ser, é ter asas, é voar, e ainda que em vôo algo possa a desequilibrar, é continuar, mesmo com asas quebradas, é não desistir, mesmo quando te roubam o equilíbrio.

Ser Mulher é conteúdo, não uma embalagem vazia. Ser Mulher é ser por inteiro, ser em seu próprio devaneio e em seu próprio mundo real. Ser Mulher é manter os pés no chão, e o céu no coração.

Ser Mulher é ser Luz e caminhar na escuridão. Ser Mulher é andar em ruas desertas, e mesmo com medo prosseguir. Ser Mulher é Ser a Lua, se quiser.

Ser Mulher é poesia. É SER.

Não é fragilidade, não é abuso, não é violência, não é crime, não é sexo. Não é nada que a sociedade equivocadamente traduz. Não é um desejo, não é um apelo, tão pouco, um seio.

Ser Mulher é Ser Luz.

Ser Mulher é comunhão. É ser todo mundo em um só coração.

Toda vez que uma mulher sofre, todo o Universo sofre também.

Ser Mulher é Ser, na retina de outro Ser. Você, é capaz de ver?

Imagem: Anarkia Boladona

Acompanhe as publicações e curta a página d’O Novelo no Facebook aqui