28/dez/2017 por

Mente fechada é um discurso que não me convém!

alienation

Abra teus olhos, entenda que o mundo não pode te alienar desse jeito, reflita sobre sua realidade e indague-se: Ela é justa?

Provavelmente, não!

Há uma mão tampando sua visão e uma voz suave que lhe pergunta: Quem é?

Isso não te parece assustador, mas acredite, meu caro, é!

Estão brincando contigo, mas não são seus amigos, talvez nem eu seja, porém, te falo a verdade, te mostro a verdade e isso é o melhor que eu posso fazer para que você me entenda e entenda todos à sua volta, inclusive a si mesmo.

Você perceberá que ao longo da sua vida eu estarei junto a ti, do mesmo modo em que estive desde o princípio, desde a formação das ideias em conjunto a divergências destas. Não tente me ignorar, eu sou parte de tudo, embora muitos me vejam como nada.

Pode me criticar, falar que não presto e que eu não sirvo para você, porque isso não afetará o que sou, apenas te tornará um fantoche com o qual todos irão brincar.

Posso ser argumentos dentro da sua boca e a sabedoria cravada em sua mente, porém se você fizer questão de me ignorar, eu serei a arma que outros irão usar contra ti e, quando perceber, vai ver que esse xeque mate em si foi tua ignorância mesmo quem deu.

Prazer, meu nome é sociologia!

Imagem: Red Plebian – Alienation and the city

Acompanhe as publicações e curta a página d’O Novelo no Facebook aqui