Memória

  • Memória

∙ História
O objetivo principal das investigações da História e seus registros é cultivar a memória da humanidade. Em certa medida, pode-se dizer que História é memória. Quando se diz que um povo não tem memória, em verdade se quer dizer que ele ignora a História. Lição elementar dada aos iniciantes no estudo dela é sobre a necessidade de se conhecer o passado para não se repetirem erros no presente e no futuro. Quando se noticiam fatos relacionados ao período sombrio da Ditadura Militar, por exemplo, costuma-se invocar o lema “Para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça”. Assim, a partir de narrativas cuja obsessão é a verdade, a História quer expor lembranças boas e as “páginas infelizes da nossa história / as passagens desbotadas na memória / das nossas novas gerações”, como canta Chico Buarque na música “Vai Passar”. Esta seção pretende contribuir com o cultivo da memória, dando-lhe mais tonalidade.
Imagem: Angeli.







Publicações da seção Memória





  • A África em mim saúda a África em você




    A África em mim saúda a África em você


    Recomeço Já que não posso ir à África Trago ela para dentro de mim Pelo meu Orí Pelo meu falar Ato de gesticular e cantar Coloco um turbante Faço tranças no cabelo Tudo muito elegante Lá no Terreiro falo iorubá Escuto histórias de Deusas Oxum, Oyá e Obá. Força, energia e vitalidade. Somente por ela Mãe África é ela Quem ensina a recomeçar! O dia 25 de maio é considerado dia da África desde 1963, foi criando n [...]


    por
  • Vincent van Gogh e o Japão




    Vincent van Gogh e o Japão


     No século 19, o Japão era um mundo recluso; por 200 anos, o shogunato de Tokugawa havia fechado o país para o exterior. Era o Sakoku, o período do País Acorrentado. Nenhum estrangeiro podia entrar, e nenhum japonês podia sair do arquipélago. Era nesse mundo fechado que vivia Utagawa Hiroshige, um mestre pintor, que elevou as ukiyo-e, pinturas japonesas em tabuletas de madeira, para o seu mais alto grau artístico. Ele pintava cenas d [...]


    por
  • Guerra do Peloponeso




    Guerra do Peloponeso


    Em 432 a.C., Atenas e Esparta, as duas forças supremas da Grécia, tinham costurado a "Paz dos 30 anos", baseada em diversas alianças com cidades-estado menores. Nenhuma delas queria a guerra, e era legendária a amizade entre Péricles, de Atenas, e Arquidamo, o único Rei de Esparta na época. Era, além disso, uma época de prosperidade para todos. Não fazia ... anos que o mundo grego havia se unido para derrotar a Pérsia, suas esco [...]


    por
  • As mulheres que criaram a ciência da computação




    As mulheres que criaram a ciência da computação


    Como o Steve Jobs lembrou em um famoso comercial, a computação é a eterna área dos dos desajustados, dos párias, dos rebeldes, dos nerds e geeks. De pessoas que, por um motivo ou outro, não se encaixavam exatamente na sociedade de sua época. O nosso patrono, por exemplo, foi Alan Turing, que simultaneamente criou a Ciência da Computação Teórica enquanto derrotava os nazistas na Segunda Guerra. Ele era gay em uma época em que era p [...]


    por
  • O brilhante cinismo de Diógenes




    O brilhante cinismo de Diógenes


    Diógenes, o filósofo grego, o mais radical dos Cínicos, tinha uma vida... curiosa. Desprezando todas as convenções sociais e desapegadão no limite, ele costumava dormir na rua, com cachorros. Chamado por transeuntes de "cão", ao invés de se ofender e explicar sua filosofia, ele aceitou o xingamento e simplesmente mijou nas pessoas, como um cachorro. Sua única posse era uma vasilha de madeira. Quando viu um garoto beber água fazendo [...]


    por
  • Nadya e as “Bruxas da Noite” da Força Aérea Soviética




    Nadya e as “Bruxas da Noite” da Força Aérea Soviética


      Nadya Popova e as "Bruxas da Noite", as letais pilotos de bombardeio noturno do 588º regimento feminino da Força Aérea Soviética. Com seus 17, 18 anos, elas voavam em aviões feitos para pulverizar plantações, muito inferiores a qualquer avião nazista. Voavam sem pára-quedas ou armas, apenas bombas, e seus rostos sem proteção congelavam no inverno russo. Pra impedir que seu esquadrão fosse abatido, Nadya desenvolveu uma [...]


    por
  • A última rainha celta




    A última rainha celta


    60 anos antes de Cristo. Toda a Bretanha era território ocupado por Roma e suas invencíveis legiões. Toda? Não! Algumas tribos celtas ainda ousavam resistir ao invasor. Quando o Império decidiu atacar a ilha de Mona, refúgio dos druidas, os rebeldes se revoltaram. Boadicea, Rainha dos Icenos, foi escolhida pra liderar a todos. Ela invocou Andrastes, antiga deusa pagã da vitória, e, com 100.000 guerreiros e guerreiras ao seu lado, march [...]


    por
  • A marcha do exército do Deus do Amor




    A marcha do exército do Deus do Amor


    Em 375  antes de Cristo, um exército de espartanos, favorecidos por Ares, o deus da guerra, foi derrotado pela primeira vez por outros gregos em menor número. Eram tebanos, e marchava com eles a sua força de elite, favorecida por Eros, o deus do amor, que ordenava que morressem gloriosamente no campo de batalha. Eles eram o Bando Sagrado de Tebas, uma tropa de choque e terror, composta de 150 pares de amantes homossexuais, devotados e [...]


    por
  • 13 de Maio




    13 de Maio


    E o que realmente significa o dia 13 de Maio? Nesta data em 1888 princesa Isabel assinava a Lei Áurea que significava a abolição da escravatura. Mas de fato não tivemos a reparação e ações inclusivas para que o negro integrasse a sociedade. Jogado fora como uma máquina de colher café, cana, etc. que já não mais prestava. Às margens nos mantivemos vivos, sofrendo, chorando, morrendo colocando em nossas cabeças que nossa cultura [...]


    por
  • Alice Denham




    Alice Denham


    "Manhattan era um rio de homens fluindo na minha porta. E quando eu tinha sede, eu bebia" Alice Denham, escritora e Miss Julho da Playboy de 1956, que também publicou seus contos. (Aparentemente, confundem bastante essa foto com a Clarice Lispector). … Acompanhe as publicações e curta a página d’O Novelo no Facebook aqui [...]


    por