18/set/2017 por

Manifesto pela Esperança

Punhos_fechados_Whitney Museum

Em tempos de apatia, eu sou empatia.

 

Ingênuo? Talvez. Passo a vez!

 

De tempos em tempos, é preciso o revés.

 

Impreciso é. Da sua insensatez não sou freguês.

 

Malas, áudios e nada que nos toque.

 

Se toque!

 

Grana é grama. Nesse pasto sou anta.

 

Ama. E não se engana. Essa paz emana.

 

Em tempos de ódio, eu sou mais um. Só mais um: um nó, um nó górdio.

 

Sem ódio.

 

Vem sem medo, vem na paz, aqui você tem mais…

 

Amor, respeito, sentimento… sem idade.

O que tenho para oferecer é humanidade.

 

Felicidade é momento.

É fomento.

É ela: criança.

 

Você que não se encaixa?

Vândalo, baderneiro?

Aqui é seu terreiro.

 

Campos de trigo, no morro dos ventos uivantes,

onde as colheitas são perenes.

 

Em tempos de desentendimento, eu sou sentimento.

 

Pensamento.

Sou crescimento,

Sou entendimento.

 

Utopia? Vem que tem…

 

Ideologia.

Fenomenologia.

Psicologia.

 

Porém…

nunca:

nenhumafobia.

 

Vem para o desembaraço.

Vem pro amasso.

Vem pro abraço.

 

Histeria?

 

 

Vem que tem alegria.

Vem sem medo, vem que tem.

 

Em tempos de ódio, eu sou levante!

Adiante!

Caminhante!

Se espante, não banalize.

 

Eu sou sol, sou solidário.

 

Sai do armário, é seu aniversario.

Vem pra Luz.

Sé ou Santa Cruz.

 

Em tempos de lambança, eu sou esperança.

Ciranda.

Criança,

Criando, andando, esperando…

 

Não é passividade.

Não dê a cara a tapa, abafa!

 

Afague.

 

É atividade.

É caminho!

É passo e é objetivo.

É subjetivo.

É meu.

É seu.

É nosso.

 

Chega d’Eu.

Chega d’Você.

Vem ao encontro de Nós.

 

Sim. Os nós.

 

Ah. Os nós, e somente nós desatamos.

Andamos, e somente nós combinamos.

 

Vem! já foi tempo de escuridão.

A gente quer mais.

Eu sou sol, eu sou solidário.

 

Em tempos de apatia, eu sou empatia.

Vem! já foi tempo de escuridão.

 

A gente quer, a gente pode mais.

 

Eu espero.

Tu, espero.

Ela, espero.

Nós, espero.

Vós, espero.

Elas, espero.

 

Nós esperamos.

Vamos?

nota: 3030 – Fim da Escuridão, a música é uma inspiração para o texto e é extremamente recomendada como trilha sonora.

Imagem: Left, right, left, right – Annette Lemieux

Acompanhe as publicações e curta a página d’O Novelo no Facebook aqui